Uma Conjuração de Luz é a finalização da trilogia de Tons de Magia composta por Um Tom mais Escuro de Magia e Um Encontro das Sombras, de V. E. Schwab.

Uma Conjuração de Luz começa exatamente após o final de Um Encontro de Sombras, Kell está na Londres Branca capturado, e por causa disso Rhy está a beira da morte, na Londres Vermelha. É claro que Lila está fazendo o que pode para ajudá-los. Mas, isso parece ser o menor dos problemas quando o risco maior está  vindo diretamente da Londres Preta e prestes a dominar a todos na Vermelha. Osaron quer dominar todas as quatro Londres usando o corpo de Holland como hospedeiro.

Logo quando eu li o primeiro livro dessa trilogia, já me apaixonei pelos personagens e pelo mundo. O segundo livro veio para confirmar meu amor e para esse terceiro era um misto de ansiedade e medo pelo final da série. O final do livro anterior foi alucinante e me deixou muito entusiasmada com os rumos da história, felizmente, V. E. Schwab entrega exatamente o que eu precisava para amar essa trilogia com todo meu coração. 

O melhor desse livro foi como a autora complexificou todas as questões envolvendo os personagens. Deixar para aprofundar a vida de alguns personagens pode parecer perigoso em uma finalização, contudo aqui ficou perfeito. A gente se importa mais, torce mais e se apaixona ainda mais por cada um. Quando achei que nada mais interessante iria acontecer, vinha um novo acontecimento e me mostrava como eu estava enganada. A narrativa do livro é eletrizante, tem coisas acontecendo a todo momento, e até nas partes consideradas mais calmas, o que acontece é crucial para o desfecho. A mudança constante de cenário colabora para a dinamicidade da trama.

“Tudo o que Holland queria era ver seu mundo restaurado. Revivido. Ele conhecia as lendas os sonhos de um mago poderoso o suficiente para fazê-lo. Forte o suficiente para respirar o ar de volta aos seus pulmões famintos, para acelerar os seu coração moribundo.”

Como eu já falei, um ponto muito positivo no livro é a exploração dos personagens. Lilia é incrível aqui. A conexão dela com os Antaris fica muito evidente, ela aprende muito durante a narrativa e tudo que ela descobre só a deixa mais forte. Kell mais uma vez se vê em situações complicadas e dolorosas, literalmente. Contudo acho importante a importância que a autora deu a ele tanto como personagem principal quanto para o próprio mundo do livro. Eu fiquei muito feliz com o reconhecimento que ele ganhou o tempo todo. 

Holland é o personagem que mais ganha destaque nesse livro. É sempre muito interessante ver as coisas por sua perspectiva. Eu gostei muito de ver o que atormentava ele, os flashbacks também me ajudaram muito no meu sentimento empático pelo personagem. Outro que ganha destaque é Alucard, o passado dele me comoveu e as posições que ele toma durante a história fizeram eu gostar dele ainda mais. Tem outro detalhe ainda mais incrível em relação a ele e Rhy, que me fizeram dar pulinhos de alegria. 

É muito difícil falar de uma finalização tentando dar o menos de informações possíveis. Eu só quero que caso você um dia vá ler ele ou essa trilogia, saiba que vale a pena cada linha. A cada livro a série fica melhor, os personagens amadurecem e a história surpreende. Leitura obrigatória para fãs de fantasia!

  • A Conjuring of Light
  • Autor: V. E. Schwab
  • Tradução: Ana Carolina Delmas
  • Ano: 2020
  • Editora: Record
  • Páginas: 728
  • Amazon

rela
ciona
dos

Todos os detalhes das obras de Cesar Bravo Todas as novidades do spin-off de “Extraordinário” Junji Ito anuncia série de terror pela Netflix Lançamentos de livros que chegarão as livrarias em breve