Em 2015, a jornalista e influenciadora Alexandra Gurgel, através de seu canal no Youtube, Alexandrismos, criou o movimento #CorpoLivre. Nos Estados Unidos já havia um movimento parecido desde a década de 60, com o termo “Positive Body”. A ideia de Alexandra era além de compartilhar seu processo de aceitação com o próprio corpo, fazer com que outras mulheres não sentissem vergonha de seus corpos e se amarem como são.

Em 2015, ela publicou seu primeiro livro sobre o assunto, Pare de se odiar,  e logo depois sua página no instagram virou referência nesse assunto. Agora, Alexandra publica seu segundo livro, pela editora Best Seller, Comece a Se Amar. A autora vai mostrar como a luta por um corpo perfeito pode ser problemática e como o ato de se amar do jeito que somos é um ato revolucionário.

O capítulo que abre o livro: Por que ainda não consigo me amar?, vai falar um pouco sobre a pressão que sofremos pela sociedade, pelo ambiente tóxico das redes sociais e principalmente pelas empresas voltadas a produtos para mulheres. Alexandra passa por esses e outros pontos mostrando a influência negativa que eles têm sobre o modo como vemos nosso próprio corpo. Nessa parte, ela também traz alguns exemplos de influencers da beleza e influencers fitness que mais prejudicam do que ajudam as mulheres no processo de aceitação do corpo. 

No capítulo dois, Quebrando Padrões de sociais e individuais, a autora vai falar mais sobre seu processo de aceitação e falar sobre dietas, processo de emagrecimento e o medo de engordar. É muito importante esse capítulo, pois as dietas movem o dia a dia de milhares de mulheres, que sofrem com as restrições alimentares. Aqui também vamos ler sobre outros padrões de beleza com a presença/ausência de celulites e estrias, que toda mulher tem né?!

“O jeito com que você se olha é o mesmo que usa ao olhar para alguém que você ama?”

Já no terceiro capítulo, Alexandra começa o processo de trazer dicas para que a mulher comece a se amar, nada mais justo que o nome deste capítulo ser Começando a se amar. A ideia aqui é começar o processo de amor-próprio, e para isso Alexandra vai trazer quatorze exercícios para colocarmos em prática, vamos desde a aprender a se olhar no espelho até como reconhecer uma amizade tóxica. Foi muito legal esse capítulo e foi para mim o que eu mais gostei. O exercício dez: Olhe para a história do seu corpo conversou bastante comigo. Acho que toda mulher deve colocar pelo menos um desses exercícios em prática para começar a se amar ainda mais. 

O capítulo quatro é um complemento ao capítulo anterior. Aqui ela vai completar com outras informações que são tão importantes quanto os exercícios anteriores para o processo de aceitação do corpo. Gosto muito da parte que ela fala sobre a família e sobre a importância da terapia. Além disso, há uma entrevista com Claudia Drummond Couto, psicóloga clínica. Alexandra encerra o livro falando sobre o #CorpoLivre, explicando alguns termos e respondendo algumas perguntas que são frequentes na vida dela. 

Foi uma experiência bem legal de leitura, mesmo achando que em alguns momento Alexandra falava o óbvio, mas eu não posso esquecer que o que pode ser óbvio para mim pode não ser para outra mulher. Comece a Se Amar é um livro muito especial para quem precisa de um incentivo para se amar mais e para quem está no processo de cotação de seu corpo.

  • Comece a se amar
  • Autor: Alexandra Gurgel
  • Tradução: -
  • Ano: 2021
  • Editora: Best Seller
  • Páginas: 224
  • Amazon

rela
ciona
dos

Livros de bruxaria moderna para você conhecer Livros banidos no Brasil e pelo mundo 6 livros com casas mal assombradas Nimona vai ganhar um filme de animação em 2023