Título Original: Beautiful Redemption
Autoras: Kami Garcia e Margaret Stohl
Ano: 2014
Editora: Galera Record
Páginas: 313
Compre aqui
♥ Atenção! Esta resenha pode conter spoilers de Dezoito Luas.

Ao longo de
toda a história da série Beautiful Creatures, nós acompanhamos a saga de Ethan Carter Wate, o seguimos em suas
aventuras e desventuras pelo mundo conjurador, observamos e conhecemos seus
inimigos, junto dele, também descobrimos novos amigos e aliados. 

Apesar de tudo o que
aconteceu ao longo desta série eu acredito que o mais maravilhoso foi descobrir
e vivenciar as diversas formas e momentos em que o amor pode surgir em nossas
vidas, e também perceber o que o amor nos faz, no que ele nos transforma, o
podemos fazer e até onde podemos ir por amor. Não se enganem, apesar da
premissa do livro, a série aborda diversos tipos de amor, e é justamente esse o
ponto mais belo da história e também a peça chave que faltava para se criar um
belo final.

“Como Amma
costumava dizer, a coisa boa na verdade é que é verdade, e não dá para discutir
com a verdade.”


No primeiro livro da série, Dezesseis
Luas
 (resenha aqui), nós iniciamos nossa jornada junto à Ethan. Nesse livro nós observamos o amor que surgia entre Ethan e
Lena
, através destes dois personagens observamos o quanto esse amor pode ser
capaz de mudar o mundo, observamos como um simples mortal pode se tornar poderoso quando
possuí a arma certa ao seu lado. Com a leitura de Dezessete Luas (resenha aqui), pudemos observar como a perda de alguém
querido pode transformar as pessoas que amamos, mas acima de tudo, nós percebemos que
muitas vezes devemos escolher caminhos difíceis para ajudar ou salvar aqueles
que amamos. Em Dezoito Luas (resenha aqui), nós
observamos de perto o que esse sentimento pode causar. Com esse livro nós percebemos o quanto ele pode
nos tornar loucos e o quanto é difícil aceitar que alguém que amamos irá sofrer.
Mas o mais importante, percebemos que não importa o que aconteça, as pessoas
que amamos dariam suas vidas se essa fosse a única forma de salvar as nossas…
Sua vida pela
vida de todos aqueles que ama… Você faria essa escolha?! Se você soubesse que
é o único capaz de salvar sua família, seus amigos, a humanidade inteira, você
pularia de cima de uma torre de água?! Você morreria para salvar toda a raça humana e
restaurar um equilíbrio que você nem mesmo sabia que existia?! Ethan Wate sabia que, somente pulando da Torre de Água
de Summerville
, ele poderia salvar todos os que amava, poderia salvar Lena, poderia salvar seu pai, Amma, Link e todos os outros. Apesar de não saber o que o aguardava do outro lado, ele não exitou, seguiu seu caminho até o fim. O único
problema é que ninguém pensa no que vem a seguir, o que vem depois da morte,
como é passar a eternidade do outro lado. E é exatamente no outro lado que
Ethan está agora. 
Uma vez no
mundo dos mortos, Ethan não consegue combater a sensação de que o preço foi
injusto demais, de que, quem sabe, poderia haver outra maneira, mas no fundo, ele sabia que não havia outra maneira. A verdade é que, não se pode jogar o peso do mundo sobre os ombros de um
adolescente. Não se pode pedir que alguém se sacrifique e depois, enquanto se encontra no além
túmulo, lide bem com isso. É claro que ele estava morto, mas ele não queria estar, e nem mesmo sua mãe, Lila Wate, poderia combater a saudade que crescia em seu peito. Porém é graças a ela e a sua
Tia Prue que ele descobre duas coisas de grande importância. A primeira delas é que
os mortos podem voltar ao mundo dos vivos, e se, estiverem fortes o bastante, são capazes de deixar mensagens para aqueles que foram deixados para trás. A segunda
e mais interessante, é que Ethan não deveria estar morto, ele nunca deveria ter
pulado da torre de água, nunca deveria ter tomada essa decisão, para que o mundo fosse salvo.
Ele foi obrigado a fazer isso pois alguém mudou a sua história, e agora, se ele
quiser voltar a viver, ele terá de encarar um caminho sem volta para o Registro
Distante
.

“Ciclo
completo. O começo e o fim. Talvez eu tivesse mesmo feito um buraco no céu e
desfeito o universo. Talvez não houvesse nó de correr nem meia-volta nem nenhum
outro nó que pudesse impedir que tudo se desfizesse.”

O último livro
da série é dividido em três partes. Seguindo a estratégia utilizada pelas autoras em todos os livros anteriores, neste volume, mais uma vez nós observamos os acontecimentos através do olhos e relatos de Ethan. Porém devido a sua localização e seu estado de espírito (como eu adoro
trocadilhos), as autoras se aproveitaram da segunda parte do livro para nos mostrar a
visão de Lena, e nos apresentar o fechamento de alguns assuntos inacabados iniciados nos livros anteriores. É
através de Lena que descobrimos as respostas para muitas dúvidas que surgiram
ao longo da série, e é através dela que conhecemos o que se passa do outro
lado, no mundo dos vivos. Com a ajuda dessa segunda parte é possível compreender e observar mais de perto as consequências da morte de Ethan e como sua morte afetou a
vida de muitas pessoas, mas também percebemos que apenas os vivos podem
ajudá-lo em uma etapa importante de sua jornada de volta para casa.
Poucas coisas
me incomodaram ou irritaram durante a leitura, para ser bem sincera, de todos os
livros da série esse é o meu preferido! Mas nem tudo são flores… Apesar disso, ainda existe uma coisa que me
decepcionou, e antes de comentar sobre tudo o que eu gostei eu gostaria de
destacar o que eu não gostei, que é justamente a parte de Lena. Não me
entendam mal, eu não tenho mais nada contra ela, eu gosto dela e passei a gostar
ainda mais por causa desse livro. Confesso, eu admito que gostei muito da estratégia que
as autoras usaram, de voltar uma parte da história para Lenae o o mundo
mortal. Mas o que me incomodou muito foi a forma como as autoras se utilizaram dessa estratégia.

Era como se eu não estivesse lendo a realmente a parte de Lena, sentia que estava lendo a parte de Ethan, a única diferença era que agora, ela estava no comando. O problema é que a forma
como ela pensa e a forma como seus relatos foram escritos é muito similar aos
relatos de Ethan, e isso me decepcionou. A única coisa que salvou a segunda
parte foram os pensamentos em forma de poemas, só assim eu pude ver a Lena de
verdade. Confesso que esperava mais diferenças nessa parte, algo distante daquilo que vemos nos relatos de Ethan, uma forma de observar o mundo e de sentir mais distante daquela que observamos ao longo de toda a série.

“Havia um
Mestre do Rio e um Guardião do Portão. É claro que havia. Também havia um
homem-cobra, um corvo que bebia uísque e que conseguia voar da terra dos vivos
para a terra dos mortos, um rio cheio de corpos e um cachorro dragão. Era como
andar no meio de um jogo de Dungeons
& Dragons
.”

Outra coisa que me agradou muito nesse livro é o fato de que, mesmo aproveitando tudo o que havia sido criado nos livros anteriores, as autoras também foram capazes de criar um universo totalmente novo para esse volume. Na minha opinião todas as
criaturas, ambientes, paisagens, tudo aquilo que elas criaram para esse livro remete
a criatividade e todo o universo magnífico, confuso e único que Guillermo del Toro nos apresenta em seus filmes
(principalmente aqueles antigos como O Labirinto do Fauno). Além disso elas
arremataram tudo com ótimas motivações, escolhas interessantes para cada
personagem, elas não deixaram ninguém de fora. E para coroar a série, inseriram
mais uma vez esse tema tão lindo que é o amor.
Apesar dos meus pequenos probleminhas com Lena, ou melhor, com sua forma de relatar os acontecimentos, eu amei todo o resto. Dezenove Luas é, na minha humilde opinião, o livro mais sobrenatural de toda a série. As autoras souberam utilizar de uma maneira perfeita todos os acontecimentos, todos os detalhes e elementos apresentados ao longo da série, além de fechar praticamente todas as histórias, amarrar todas as pontas soltas e garantir um ótimo final

Eu me surpreendi demais, não esperava um final tão lindo e cheio de
significado. Não esperava esse final, nunca, nunca esperei por esse final, em momento algum ele passou pela minha
cabeça, eu estava totalmente despreparada para a sua chegada. Mas quando ele chegou eu entendi, estava lá o tempo todo, eu é que não
queria enxerga-lo. E é por causa desse final que eu recomendo a série. Sei que
muitos não gostaram, mas por alguma razão, as escolhas das autoras
agradaram essa chata de galocha aqui, e tenho certeza de que, se esses livros foram
capazes de me encantar, com certeza eles irão encantar muitos outros leitores por aí!

“Amo vocês e
sempre amarei.
Preciso de
vocês e guardo vocês comigo.
O bom e o ruim,
o açúcar e o sal, os chutes e os beijos – o que veio antes e o que virá depois,
vocês e eu…
Estamos todos
juntos nisso, debaixo de uma massa quente de torta.
Tudo em mim
lembra tudo em vocês.”


Confira a série Beautiful Creatures:

1. Dezesseis Luas

2. Dezessete Luas

3. Dezoito Luas

4. Dezenove Luas

rela
ciona
dos