Oi gente! Hoje vim falar sobre algo que vem me “assombrando” ultimamente. E qual o melhor lugar para debater o assunto do que, aqui com vocês?! Então vamos lá!

O final da Bienal do Rio chegou e junto com isso veio a polêmica de que o livro, bestseller do evento não era de um escritor, e sim de uma youtuber. O livro Muito Mais que 5inco Minutos em sua primeira semana vendeu 30 mil exemplares, se tornando assim, também o livro mais vendido no Brasil.
Bom, mas qual a polêmica Joi?! Houveram muitas críticas onde, as pessoas acreditam que a autora e vlogueira Kéfera Buchmann não se enquadra entre os escritores, que sua obra não seria digna de estar entre outros nomes nacionais, quem dirá dos clássicos. Apesar de ser fã e inscrita ativa do canal da Kéfera não estou aqui para defende-la com unhas e dentes, estou aqui para defender a tese de que o livro dela, assim como de outros youtubers tem sim seu valor literário.
O que os “críticos” devem entender, assim com aqueles que falam que livro tal é modinha, é que a literatura em primeiro lugar esta sendo dizimada, compartilhada, chegando cada vez mais nas mãos de jovens que ontem não liam nada. Milhares de mentes estão sendo ocupadas. Quem lhes garante que depois de ler o tal livro este leitor não vá querer outros, não é mesmo?! Muita gente começou a ler assim, eu comecei com a “moda” de Harry Potter e cá estou hoje em dia, falando sobre livros! Estes youtubers, modelos e celebridades estão mesmo que indiretamente influenciando as pessoas a lerem e isso é maravilhoso. Aceite.
Como a moeda sempre tem dois lados, é claro que ler não é sinônimo e nem garantia de cultura ou maturidade, assim como ler livro “x” ou livro “y” não te garante em sua maioria qualidade. Eu particularmente tenho mais dificuldade de ler livros de auto-ajuda ou autobiográficos, mas isso não significada que não goste, apenas leio mais lentamente. A situação é que as editoras e o marketing em si, estão mais do que ligados no que está em alta, no que pode ser vendido e lucrativo. Eles estão acertando em cheio e ganhando rios de dinheiro!
Antes de concluir este assunto e deixar vocês refletindo, ressalto outro, a boa e velha frase “não julgue um livro pela capa” ou melhor adaptada para o post, “não julgue o livro apenas pela opinião alheia”. Também virou moda falar mal de uma obra quando a maioria fala, mas eu vos falo, caros leitores, para se ter uma opinião sobre um livro, para fazer uma crítica, resenha-lo e sair xingando muito no twitter deve-se ler o mesmo. Cinquenta Tons que o diga não é mesmo?! Visto que metade das críticas do livro, com certeza, vieram e vem de pessoas que nem se quer pegaram o livro na mão.
O que os jornalistas da velha guarda precisam aceitar é que o mundo é dos jovens, e atualmente o maior meio de comunicação do mundo é o youtube. A televisão esta com os dias contados, ninguém quer estar em um lugar onde tudo é controlado. Se o youtube da espaço para as pessoas serem livres, e se estas pessoas lançam livros e influenciam jovens sobre a leitura, eu mais do que apoio. Esqueceram que John Green começou como youtuber?! 
As pessoas estão aí para contar suas histórias, as histórias estão aí para serem publicadas e compra quem quer. Antes da crítica vazia, se dê o trabalho de ler a obra e depois debata sobre isso. E se você não gosta de fulana ou ciclano, porque comprar um livro que fale sobre a vida do mesmo?! Por que o sucesso de alguns incomodam tanto? Eu gostaria de saber. 
Apoie qualquer tipo de leitura, e que a literatura vire modinha sim. Harry Potter e 50 Tons, acreditem, ambos são literatura. Muito Mais do que Cinco Minutos e Shakespeare também. Diga não ao preconceito literário. 

rela
ciona
dos