Em seu aniversário de 210 anos, resolvi trazer um pequena guia para fãs e curiosos sobre a vida e obra de um dos mestres do terror, Edgar Allan Poe. É sabido que ao longo dos anos, o autor acabou virando referência e consagrou suas obras que envolviam mistério e o terror tétrico. Suas obras ficaram conhecidas no século XIX como terror gótico, que tem como características assuntos que abordem a morte em geral, pessoas sendo enterradas vivas e reanimação de corpos. Além disso, o autor também virou um dos primeiros autores de narrativas curtas, assim como ganhou créditos sendo o pioneiro dentro dos gêneros policial e da ficção científica.
Nascido em 19 de janeiro de 1809, em Boston nos Estados Unidos, Poe foi poeta, editor e crítico literário. Orfão, fora criado por Francis Allan e John Allan, este com quem nunca teve uma boa relação. Em 1827, já adolescente, fugiu de casa para se alistar nas forças armadas, onde serviu por dois anos. Após isso, com 19 anos, sua carreira começou a dar os primeiros passos e seus textos começaram a aparecer em revistas e jornais. Em 1836 casou-se com Virginia Clemm, sua prima de treze anos, porém sua esposa acabou falecendo de tuberculose em 1847.

Obras

Em 1827, Poe publicou de forma anônima sua primeira coleção de poemas, a edição de Tamerlane and Other Poems recebeu 50 cópias. No jornal Burton’s Gentleman’s Magazine, publicou um grande número de artigos, histórias e críticas literárias e teatrais. E neste mesmo ano publicou a primeira edição do que conhecemos hoje como Histórias Extraordinárias, na época ainda um insucesso, mas em 1845 publicou O Corvo, que teve uma recepção completamente diferente. Desde sua primeira obra até o ano de 1849, Poe escreveu mais de 40 obras, entre elas contos, sátiras e poemas que anos depois, virariam um marco na literatura mundial.

Problema com o álcool

Desde sua passagem pela Universidade de Virgínia, onde estudou por cerca de um ano e fora expulso, Edgar Allan Poe teve muitos problemas com o álcool, nesta época, devido ao seu estilo boêmio e mulherengo. Após a morte de sua esposa, Poe foi levado ao consumo excessivo de álcool novamente e acabou optando por deixar o Burton’s Gentleman’s Magazine para virar editor em Nova Iorque, primeiramente no Evening Mirror (onde fora publicado O Corvo) e depois no Broadway Journal. Biógrafos costumam sugerir que a tendência de Poe em escrever sobre belas mulheres, venha da sua dor por ter perdido sua amada esposa e também seja por isso que ele tenha tentado o suicídio.
Poe ainda tentou cortejar a poeta Sarah Helen Whitman, porém, devido seus problemas com álcool e pela não aprovação da mãe de Sarah, o noivado não foi para frente. Acabou regressando a Richmond em setembro de 1849, cidade onde fora criado por seus pais adotivos e onde começou a se relacionar com uma amiga de infância, a viúva Sarah Elmira Royster, com promessas de melhora e uma vida nova.

Morte

A morte do autor, assim como suas obras, é permeada por mistérios. Em outubro de 1849, o autor foi encontrado nas ruas de Baltimore, sem suas roupas, em estado de Delirium Tremens, um sintoma que usualmente acomete alcoólatras em abstinência. Poe foi levado ao Washington College Hospital, onde acabou falecendo quatro dias depois. Infelizmente, o autor nunca conseguiu explicar como tinha chegado naquela situação, o que após anos, acabou gerando diversas teorias conspiratórias. A verdadeira causa de sua morte também nunca foi solucionada, além da embriaguez, muito se fala sobre sífilis, raiva e até diabetes. Suas últimas palavras foram, “Senhor, por favor, ajude minha pobre alma.”Poe foi enterrado originalmente na parte de trás do cemitério de Westminster, Baltimore, sem uma lápide. Hoje em dia existe uma lápide que marca o lugar original. Em 1875, os restos mortais de Poe foram levados a um novo local, um mausoléu em uma esquina do mesmo cemitério, juntamente com o corpo de sua tia e posteriormente, o de sua esposa.

O Chalé de Poe e as esculturas em sua homenagem

Em 1846, Poe mudou-se para uma casa de campo em Bronx, Nova Iorque. Hoje em dia, a casa é aberta ao público, onde podemos encontrar bens pessoais de Poe e sua esposa Virginia. A casa de campo tinha no primeiro andar uma sala de estar, cozinha e uma varanda e no andar superior tinha um quarto e o escritório de Poe. Em 1889, a casa foi vendida em leilão para William Fearing Gill, que posteriormente acabou virando o primeiro biógrafo da vida do autor.
Devido a problemas de conservação, em 1905 a assembléia estadual autorizou a restauração da casa e a criação de um parque em seu entorno, porém, para isso, a casa teria que ser movida a uma distãncia curta. Em 1913, o chalé de Poe foi movido para a esquina da Kingsbridge Road, sendo considerado, anos depois, um marco histórico no Bronx. O conto Landor’s Cottage, provavelmente foi inspirado pela casa. Também é possível saber mais sobre outra casa habitada por Poe nos anos de 1840. A casa está localizada no que agora é o número 532 da North Seventh Street, na Filadélfia. Ela faz parte do Edgar Allan Poe National Historic, e você pode ver algumas fotos da residência no site da instituição.
Em outubro de 2014, a Fundação Edgar Allan Poe de Boston inaugurou a escultura do escritor, apoiada por organizações e fãs do autor, entre eles Stephen King. A escultura fica na Praça Poe, em Boston, perto do seu local de nascimento. Em Baltimore e Richmond já existiam outras estatuas em homenagem ao autor.
Escultura de Poe, na Praça Poe em Boston

Influência

Edgar Allan Poe influenciou grandes nomes da literatura e da arte como: H. P Lovecraft, outro autor que serviu como referência dentro do gênero, Arthur Conan Doyle, que escreveu Sherlock a partir de Dupin, personagem criado por Poe, Agatha Christie, Dostoiévski e o mais atual e conhecido, Tim Burton. Estes são apenas alguns dos nomes que foram influenciados pelo mestre, mas tantos outros poderiam estar completando esta lista.
Suas obras ganharam mais de 100 adaptações para o cinema. Dentre alguns filmes mais recentes estão, O Corvo (2012), A Colina Escarlate (2015) e todas as adaptações de Sherlock, assim como a última adaptação de O Assassinato no Expresso Oriente (2017). Em 1995 também chegou a ser lançado para PC, The Dark Eye um jogo que permite que o jogador explore os contos O Coração Delator, O Barril de Amontillado e Berenice.

Legado

Muitas das histórias de Edgar Allan Poe viraram exemplos literários e impressionam os leitores até hoje, pois, nunca um autor chegou perto do seu imenso talento. Tudo que conhecemos hoje como terror há um dedo do autor, são inúmeros os formatos já adaptados, sejam eles livros sob diversas edições, peças de teatro ou música. Com suas obras atemporais, o autor doutrinou centenas de seguidores que disseminam o gênero em toda sua a grandeza e mistério.
Através da força de suas palavras, o autor continua vivo. Sua passagem física pela Terra pode ter sido breve e cheia de percalços, mas suficiente para se consagrar eterna e popular. Sem dúvidas, a causa disso, acredito eu, se fez pelo fato das histórias de Poe conterem muito de sua própria vida.
Edgar Allan Poe trouxe inspiração para o mundo e estabeleceu caminho únicos para a literatura mundial. Plantou uma semente e falava com tanta propriedade sobre os terrores do mundo e da natureza humana que seu legado vive e ainda viverá por muitos anos. Após conhecer sua obra, entendo o quanto Poe mudou a visão de muitos com seu brilhantismo e genialidade, apenas retratando a realidade na ficção.

Confira as coletâneas do autor já resenhadas aqui:
1. O Gato Preto em Quadrinhos (Martin Claret)
2. Histórias Extraordinárias (Nova Fronteira)
3. Medo Clássico – Edgar Allan Poe, Volume I (Darkside Books)

rela
ciona
dos

Livros de ficção mais vendido de 2021 Lançamentos de livros previstos para fevereiro Um livro para cada fase da lua Os melhores quadrinhos de 2021