Em Aprendendo a Cair, de Mikaël Ross, conheceremos um jovem com necessidades especiais que busca o seu lugar no mundo. Noel vê seu mundo desmoronar quando a mãe, repentinamente acaba sofrendo um acidente. Seu mundo certinho, vira de cabeça pra baixo quando um homem estranho de bigode lhe diz que ele não pode morar sozinho, que agora ele terá que se mudar para um lugar completamente novo e bem longe de sua casa. Mas ele quer ficar em sua casa, um local seguro onde sempre viveu, mas ele não tem escolha: ele terá que obedecer.

É assim que Noel para em um centro de cuidados chamado Neuerkerode, onde há outras pessoas assim como ele. Ele só tem uma promessa, de que este local é diferente, que todos lá teriam seu próprio espaço e que Noel logo ficaria bem. É neste contexto que conheceremos Noel, em sua primeira jornada sozinho, mas ao mesmo tempo ao lado de tantas outras pessoas, sem a proteção da mãe que sempre o protegeu.

Através das novas vivências de Noel, é possível percebe-lo como parte de algo (e ele também se percebe assim), com vontade de ser aceito e suas relações com os outros moradores do centro. Aos poucos Noel vai lidando com suas dúvidas e inseguranças, a cada quadrinho podemos aprender junto com o personagem, com cada pequena história que o Mikaël Ross vai nos apresentando, desde a sua paixonite por Penélope, sua amizade com Alice, às suas aulas de judô.

A narrativa segue o mesmo ritmo, com cada capítulo ilustrando uma nova experiência de Noel, com exceção de alguns flashbacks e os momentos em que a representação da mãe de Noel é presente, mesmo que não fisicamente. Achei estes trechos de uma delicadeza incrível e de sensibilidade sem igual do autor. Além disso a graphic novel é completa, o traço de Mikaël é muito interessante, bem expressivo, destacando vários dos sentimentos tratados através das cores. Foi o primeiro quadrinho do autor que li, mas do qual já me encantei, pois além de ser linda, nos apresenta um tópico pouco discutido entre os quadrinhos.

A leitura acaba sendo muito pertinente para que nós, entendamos como funciona o dia a dia de um centro como Neuerkerode, que já tem um diferencial e a vida dessas pessoas por muitas vezes ignoradas pela sociedade.

A obra foi encomendada pela comunidade de Neuerkerode, para celebrar os 150 anos da fundação residente na Alemanha. Assim Mikaël Ross embarcou por 2 anos no cotidiano dessas pessoas, nos mostrando um retrato pra lá de realista da rotina do local e todas duas facetas, onde verdade, otimismo e também angustias são compartilhadas. O artista aprendeu cada detalhe e particularidades de todos os habitantes de Neuerkerode, criando assim uma obra que diverte, informa e emociona na mesma medida. Apesar disso, os personagens não são inspirados por ninguém em específico.

A comunidade Neuerkerode oferece uma vida inclusiva a pessoas com ou sem necessidades especiais, é um espaço onde você compartilha e vivencia as particularidades de pessoas deficientes intelectuais do modo são. Atualmente o centro conta com mais de 800 cidadãos e é uma grande comunidade que busca acima de qualquer coisa realização pessoal, condizendo com as capacidades de deus integrantes.

Aprendendo a Cair foi o vencedor do Max und Moritz, o grande prêmio alemão dos quadrinhos. Fazendo jus a uma história forte e reflexiva, que mostra a verdadeira visão do mundo das pessoas com deficiência da forma mais autêntica e genuína possível. Por muitas vezes estas pessoas passam a ser invisíveis para a sociedade em geral, mas aqui são protagonistas e possuem voz para falarem sobre si, contarem suas próprias histórias e conquistas. Essa é uma história que fala sobre recomeços e sobre Noel, que precisa aprender a cair, para não se machucar.

  • Der Umfall
  • Autor: Mikaël Ross
  • Tradução: Renata Silveira
  • Ano: 2020
  • Editora: Nemo
  • Páginas: 128
  • Amazon

rela
ciona
dos

7 livros para sagitarianos Os livros queridinhos do TikTok Livros de não ficção mais vendido em 2021 Livros de ficção mais vendido de 2021