A mãe de Alexandra Gracie acaba de morrer, Debora estava há anos presa, e agora ela precisará ir até a penitenciária para resolver tudo relacionado ao seu falecimento. Mas o que poderia ser algo simples, ou pelo menos doloroso apenas em relação à perda de um ente tão querido, é muito mais que isso, Debora estava presa por um crime que cometera contra a própria Lex, ela era a causa da prisão de sua mãe.

Lex fugiu da casa dos horrores quando tinha apenas 15 anos, telefonou para a polícia e falou que em sua casa, ela e mais 6 crianças eram mantidas em cativeiro, privadas de todas as coisas que deveriam ser oferecidas a qualquer ser humano. Aquilo parecia um experimento, um estudo que seus pais faziam com eles, deixando-os isolados de todo mundo, e agora eles precisariam ser presos por isso. Ao todo eram 4 garotos e 3 meninas, conhecidos como Garotos A, B, C e D, e Garotas A, B e C, Lex era a Garota A, aparentemente a primeira a participar de tal prisão.

Os anos passam e o drama de Lex retorna, ela precisa conviver com seu passado e com tudo aquilo que sofreu, será que ela poderia ficar triste pela morte da mãe? O que ela deveria sentir com aquele acontecimento? Ela poderia relembrar sua infância e tudo que sofreu dentro daquela casa? Como ela poderia lidar com isso?


Garota A poderia ser somente sobre estes encontros emocionais, sobre todo terror vivido, mas é muito mais do que isso, a história não fica apenas na ótica da Garota A, ela aborda a vida de todos garotos e garotas envolvidos no crime, mostrando para onde eles foram e como suas vidas foram modificadas com o que sofreram quando crianças, dando detalhes de seus lares adotivos e das famílias que ficaram encarregadas de cuidar deles.

A sinopse do livro indica que ele remete a livros como Objetos Cortantes, da Gillian Flynn, e de Quarto, escrito pela Emma Donoghue. Sinceramente achei o livro bem distante dos dois indicados, a pegada da narrativa é completamente diferente, a busca de seu enredo é completamente diferente das dos livros comparados. Na minha opinião, a obra me remeteu a outras duas, Pequenos Incêndios por Toda Parte, pelo sentimento ambíguo em relação aos pais, e mais profundamente até mesmo à mãe, e a Menina Boa, Menina Má, de Ali Land, pela sua relação conturbada entre mãe e filha, remetendo também à uma mãe criminosa e que está presa, por ter causado um enorme mal a outras crianças, bem parecido com Garota A.

Confira a resenha de Menina Boa, Menina Má

Parecido no sentido das ideias e dos sentimentos que o livro ocasiona, nas discussões que ele abre, com um enredo que caminha mais ou menos na mesma trilha que o deste dois livros. Ai entra um outro ponto que sempre me acompanha na literatura, o saudosismo provocado em novas leituras que me remetem a livros antigos que eu gostei muito, e tanto Menina Boa, Menina Má, quanto Pequenos Incêndios Por Toda Parte, são experiências magníficas que tive e que talvez tenham feito eu gostar tanto desse livro.

Garota A não é um livro perfeito, tem seus defeitos, o maior deles na minha opinião é o fato de ter capítulos longos e um pouco complexos, já que entra em muitas histórias, abordando visões diferentes e reflexos de vida também distintos, que por um lado torna a história tão original e envolvente, mas acaba exigindo uma atenção especial de quem lê, deixando a leitura um pouco monótona em alguns momentos.

Lex viveu na Casa dos Horrores, por lá passou os piores momentos da sua vida, ao lado de outras vítimas e dos seus algozes, que eram também seus pais. Este é um grande livro de suspense psicológico, que torna sua leitura densa e tão envolvente que fará você se colocar na pele destas 7 crianças, muitas vezes durante suas páginas é necessário estômago, mas principalmente cabeça para encarar tudo que os Gracies fizeram com estas crianças indefesas durante anos em sua casa, ou seja, muitas coisas que amamos encontrar na literatura e que são tão raras de serem abordadas.

E este é o primeiro livro de Abigail Dean, que já inicia seu trabalho nos livros com uma obra tão boa e que eu não me surpreenderia se fosse parar no cinema, fico sempre imaginando o que novos escritores são capazes de fazer depois de entregar-nos um livro de estreia tão bom.

  • Girl A
  • Autor: Abigail Dean
  • Tradução: Ryta Vinagre
  • Ano: 2021
  • Editora: Record
  • Páginas: 280
  • Amazon

rela
ciona
dos

Men: Novo filme perturbador ganha trailer nacional Adaptações literárias que estreiam em agosto Novo trailer de John Wick e novidades da franquia Novidades sobre Halloween Ends, último filme da franquia