No drama coreano Its Okay to not be Okay, conheceremos Ko Moon-Young autora de livros infantis que cria histórias que podem apresentar nuances mais assustadoras para leitores mais maduros, mas que encanta por mesmo assim, entregar histórias cheias de significados, um retrato honesto da vida e seus desafios.

O sucesso foi tanto que as histórias, antes animadas apenas em trechos da série, saíram das telas e foram publicados, com direito a capa dura, ilustrações e autógrafo da autora, que agora chegam no Brasil pela Intrínseca. Aliás, o Brasil é o único país no mundo, após a Coreia do Sul, a publicar os livros originados do drama, que apesar de levarem o nome da autora fictícia, Ko Moon-Young, os roteiros são de Jo Young, roteirista da série e ilustrado por Jam San.


Já fizemos resenha de ambas as obras aqui no site, tanto da série Its Okay to not be Okay e do primeiro livro da série de livros, O Menino Que Se Alimentava de Pesadelos. E agora vou comentar sobre outros dois volumes.

Conheça O Menino Que Se Alimentava de Pesadelos

Em A Mão e o Tamboril, temos uma mãe muito zelosa com sua filha, ela jurou lhe dar tudo, até que sua filha se tornasse completamente dependente dela. Porém um dia a mãe precisou de ajuda, mas a criança nada pôde fazer pela mãe. Você conhece pais super protetores assim? Certamente sim. Por incrível que pareça, muito amor sufoca, incapacita. A verdade é dura, mas ninguém pode proteger o outro dos obstáculos da vida, nem nossos pais, por mais que as vezes a gente só queira voltar para a casa deles e chorar. A grande verdade é que chega uma hora que precisamos dar o primeiro passo para longe do ninho e o meio desse processo vai ser difícil e doloroso, mas aprender a levantar sozinho faz parte do processo.

Já em, Em Busca da Feição Real, último volume da série de livros, teremos uma história mais próxima dos contos de fadas. Aqui teremos três crianças que viviam em um grande castelo, porém tiveram suas feições reais roubadas por uma bruxa malvada. A aventura começa quando os três decidem que precisam, para serem plenamente felizes, recuperar seus verdadeiros rostos. A partir dessa premissa que teremos uma jornada cheia de desafios e encontros que lhes ensinarão o verdadeiro significado da felicidade. A história me trouxe uma nuance de O Mágico de Oz e também é a história com a arte mais graciosa na minha opinião.

De certa forma, também é um ótimo desfecho para todas as histórias, pois apresenta um conto mais doce e mais revelador também, aquela verdade que sempre esteve diante dos nossos olhos, mas nossa vida corrida, acaba as escondendo de nós mesmos. A felicidade esta dentro de nós, naquilo que buscamos, naquilo que somos, basta ter coragem para buscar isso.

Conheça Its Okay to not be Okay

Você não precisa necessariamente assistir a série para entender as histórias contidas no livro, mas uma lidinha na sinopse pode te ajudar a entender um pouco da relação da autora com esses livros. Basicamente, na série teremos personagens tentando lidar com meus traumas para conseguir vivenciar o amor e criar laços, o modo que Moon-Young se expressa é através dos seus livros, que mesmo que possuam uma estética mais sombria, relatam vivências de abandono, egoísmo, mas também de empatia e felicidade.

Esta coleção é um ótimo presente para as crianças, mas também deve cativar todos os adultos que apreciam aquelas histórias curtinhas, bonitas e cheias de significado, além é claro de ser um baita funservice para os amantes da série. Mais do que recomendado!

rela
ciona
dos

7 livros para sagitarianos Os livros queridinhos do TikTok Livros de não ficção mais vendido em 2021 Livros de ficção mais vendido de 2021