O Terror vai começar...

Olá pessoas! 


Como muitos devem saber, todo mês de outubro, nós do Estante Diagonal, nos dedicamos a fazer uma semana especial de Halloween. Durante dois anos, foram duas edições do projeto com várias dicas de filmes, livros e séries relacionados ao gênero terror/horror e suspense, e você pode conferir como foram os anos passados nos links. - http://goo.gl/Umv011 - http://goo.gl/qU3qtX

Neste ano, o terceiro do projeto, resolvemos expandir e para isso ganhamos o apoio de três editoras queridas. A Darkside, a Suma de Letras e a Globo Livros apostaram no sucesso do nosso especial e estão loucas para presentear os leitores que mais participarem! Vocês estão preparados?

Filme: O Lar das Crianças Peculiares

Título Original: Miss Peregrine's Home For Peculiar Children
Lançamento: 29 de setembro de 2016
Com: Eva Green, Asa Butterfield, Samuel L. Jackson, Judi Dench, Ella Purnell
Gênero: Aventura, Família, Fantasia

Tim Burton volta aos cinemas através da adaptação da trilogia e bestseller de Ransom Riggs, O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares. Quando digo trilogia, me refiro que o longa mostrará elementos de todos os livros e os leitores desavisados poderão ser surpreendidos com spoilers

A premissa da obra é o tipo de história que o diretor Tim Burton mais trabalha. Possui exatamente os elementos que retratam sua mente intrigante, estranha, sombria e creepy, versões bizarras do mundo e da fantasia. Quando saiu a notícia que seria Burton o responsável pela adaptação da obra de Riggs, sem dúvidas, fãs e apreciadores enalteceram a ideia, mas pode ser que tudo tenha sido uma grande decepção.

Depois do trágico acidente com seu avô, Jake (Asa Butterfield) está perturbado entre o real e as histórias que seu querido avô insistia em contar na sua infância, uma história sobre órfãos, uma protetora e as aventuras de Abe (Terence Stamp), aquele que os protegia. Disposto a descobrir a verdade e enfim colocar uma pedra sobre o assunto. Jake viaja para as ilhas de Gales, para vasculhar as ruínas do orfanato da Srta. Peregrine (Eva Green). É quando somos apresentados ao grupo de crianças, que continua vivendo onde o avô de Jake sempre dissera que estariam, agora, Jake é capaz de descobrir mais sobre a realidade destas crianças com poderes, o que são os hollows, seres que podem ameaça-los e de que forma ele está fortemente ligado a todos eles. 

Esta não é uma história de heróis, apesar de ser inegável o heroísmo do nosso protagonista Jake. Aqui teremos apenas crianças com suas peculiaridades, como a própria história faz questão de nos lembrar a todo momento. As habilidades especiais de cada criança são retratadas das mais diversas formas, e algumas bem típicas do trabalho de Burton.

Resenha: O Ano em Que Te Conheci

Título Original: The Year I Met You
Autora: Cecelia Ahern
Ano: 2016
Editora: Novo Conceito
Páginas: 331
Compre aqui

♥ livro cedido em parceria com a editora.

Jasmine foi demitida de seu emprego e agora está em casa, sem conseguir arrumar algo com que ocupar a mente. Ela se sente sozinha, então cria uma estranha fascinação em observar seu vizinho chegando em casa bêbado quase todas as noites.

Na verdade, ela odeia ele, mas ainda assim, não consegue desviar os olhos da janela quando escuta os gritos dele com a mulher do outro lado da rua.

Jasmine e Matt nunca haviam se falando antes, mas ao encontrarem-se os dois de licença forçada do trabalho e percebendo como suas vidas estão um caos eles acabam, de alguma maneira, se identificando. Ao longo do ano os dois desenvolvem uma amizade e sentimentos que nunca imaginaram ter um pelo outro.

Desde o anúncio do lançamento desde novo título da Cecelia Ahern pela Novo Conceito, fiquei curiosa sobre o livro. A autora é uma das minhas favoritas e já me conquistou com sua escrita ágil e apaixonante. Já li dois livros dela, Como se Apaixonar (resenha aqui) e O Livro do Amanhã, e assisti às duas adaptações cinematográficas, Simplesmente Acontece (resenha aqui) e P.S. Eu te Amo.

Nesse livro, o estilo da Cecelia continua o mesmo, ela aborda questões sociais que vivenciamos todos os dias, ou que conhecemos de longe, e trabalha essas questões problematizando-as com seus personagens. Porém, neste livro não há um romance entre os protagonistas e sim uma estranha amizade, que é fundamental para o amadurecimento de ambos.

Resenha: Jogos Macabros

Título Original: Party Games
Autor: R. L. Stine
Ano: 2016
Editora: Globo Alt
Páginas: 280
Compre aqui

♥ livro cedido em parceria com a editora.

Jogos Macabros é um livro de R. L. Stine, autor de uma série bastante renomada chamada Goosebumps, que já ganhou uma adaptação cinematográfica.

O autor é especializado na literatura juvenil e depois de 20 anos, quando lançou os primeiros volumes da série Rua do Medo, o autor volta a falar sobre a Família Fear, bastante temida na cidade de Shadyside. Esta família tem um legado bastante sombrio, além de rica, o passado desta família é um mistério, por terem praticado magia negra, dizem que foi amaldiçoada.

Brendan Fear é um garoto normal, apesar do peso do seu sobrenome, ele vive cercado por amigos e é sempre agradável e simpático por onde passa. A única excentricidade que ele faz questão de ter são suas festas de aniversários bastante peculiares.

Por ser bastante diferente do que todos esperam, Brendan chama a atenção de Rachel Martin, a típica garota estudiosa, trabalhadora e responsável daqueles filmes jovens adultos de terror que tão bem conhecemos. De uma maneira bastante inusitada, Brendan acaba a convidando para o seu aniversário, que ocorrerá na sua casa de veraneio que se encontra na ilha particular da família, a ilha do medo.

Sua melhor amiga, Amy, sabe da reputação da família fear e tenta convencer Rachel de não ir. Outro que tenta de todas as formas impedi-la de ir para a ilha é o ex-namorado de Rachel, de uma forma bastante estranha, Mac tenta convence-la de não partir para a ilha e que coisas "ruins" poderiam acontecer por lá. Os pedidos da amiga e as suplicas bastante assustadoras de Mac não impedem Rachel de ir, nem mesmo acontecimentos bastantes assustadores que passam a acontecer na sua casa a fazem mudar de ideia.

Filme: O Bebê de Bridget Jones

Título Original: Bridget Jones Baby
Lançamento: 29 de setembro de 2016
Com: Renée ZellwegerPatrick DempseyColin Firth, Emma Thompson
Gênero: ComédiaRomance

Após 12 anos de sua última adaptação, a atrapalhada Bridget Jones, interpretada por Renée Zellweger, volta aos cinemas para continuar contando sobre sua vida amorosa mais que desastrosa. Aos 43 anos, sem Mark Darcy (Colin Firth), solteira e em crise no trabalho, Bridget vê suas melhores amigas envolvidas com suas famílias e filhos, tudo que ela ainda não tem.

Querendo aproveitar uma nova fase em sua vida, Bridget resolve curtir seu aniversário em um festival de shows. Exatamente da maneira que bem conhecemos, da forma mais inusitada e engraçada possível, Bridget vai literalmente, ser resgatada por Jack Qwant, interpretado por Patrick Dempsey. 

Neste mesmo final de semana, Bridget também reencontra Mark, seu ex, que agora lida com uma separação. Pronto, mais uma vez temos a fórmula que reservou tanto sucesso para o longa no início dos anos 2000. Bridget se vê dividida entre dois homens completamente diferentes e agora com um pequeno, delicado e confuso "detalhe", Bridget descobre que está grávida e ela não sabe quem é o pai.

A vida da personagem continua sendo dramática, mas da forma engraçada que só o filme que deu outra cara para as comédias românticas poderia dar, iremos acompanhar de que maneira Bridget vai enfrentar esta nova enrascada em sua vida.

Resenha: A Guerra dos Mundos

Título Original: The War of The Worlds 
Autor: H. G. Wells
Ano: 2016
Editora: Suma de Letras 
Páginas: 310
Compre aqui

♥ livro cedido em parceria com a editora.

Eu sempre adorei ficção científica. Já olhei dezenas de filmes, mas confesso que não li muitos livros do gênero. O filme A Guerra dos Mundos, é um dos meus filmes favoritos, aquele filme que pode passar todos os dias, que eu estou lá assistindo novamente. Quando vi que a Suma de Letras ia lançar essa nova edição eu praticamente surtei! Capa dura, com ilustrações incríveis e originais de um brasileiro e que conta com alguns adicionais para qualquer apaixonado e colecionador do gênero amar!

Iniciei a leitura esperando encontrar o personagem de Tom Cruise, da adaptação de 2005, o ex-marido, pai de dois filhos, lutando pela vida. Assim, foi grande a minha surpresa ao me ver dentro da narrativa de outro personagem e isto foi muito estimulante, pois eu ia descobrir outra perspectiva numa história fantástica. 

O protagonista (não sabemos sua identidade), é uma pessoa comum, nada de brilhantismo. E num dia qualquer, algo estranho cai na terra. O protagonista tem conhecimento sobre várias áreas e é curioso, assim como outras pessoa que vão atrás do local de impacto do “meteoro” e logo o localizam. No local percebem que não pode ser um meteoro, ele é constituído de metal e dele saiem seres estranhos e bastante peculiares. Até então nenhum mal havia ocorrido, até que os seres começam a pulverizar uma substância capaz de aniquilar qualquer ser vivo. 

"- Isso não é uma guerra - prosseguiu o artilheiro. - Nunca foi uma guerra, assim como nunca houve uma guerra entre o homem e as formigas."

Resenha: Persépolis

Título Original: Persepolis
Autora: Marjane Satrapi
Ano: 2016 - 17º reimpressão
Editora: Quadrinhos na Cia.
Páginas: 352
Compre aqui

♥ livro cedido em parceria com a editora.

Persépolis é um quadrinho autobiográfico de Marjane Satrapi que irá relatar momento da sua vida e também marcos históricos a partir dos seus 10 anos. Marjane nasceu em Rasht no Irã, bisneta de um imperador, ela nasceu em uma família politizada moderna, educada com os valores ocidentais e costumes persas. Em 79 iniciasse a revolução do regime xiita no Irã, e com a queda do xá, os terrores e opressão dos persas estavam só começando, a grande maioria da população se converteu para uma ditadura islâmica.

Parece complicado de se entender? Não se preocupe. No início do livro teremos um resumo histórico que serve como um contextualizador, nele teremos parte da história persa, explica as invasões que aconteceram e a guerra que se estendeu. Além disso, nos situaremos pelos impérios inimigos dos persas. Estas informações são importantes para ajudar o leitor a adentrar na história e entender a cultura que a autora nasceu.

Voltando ao livro, Marjane presenciou, de muito perto, o endurecimento da ditadura islâmica e em poucos dias se viu obrigada a usar véu na escola, mesmo não entendendo os motivos. Desde tão nova se vê obrigada a lidar com mudanças, e aos 14, com as proporções da guerra e o aumento da violência, ela é enviada pelos pais para a Áustria. Este foi só o início da luta de sua família contra uma guerra que se perpetua até hoje.

A narrativa dos quadrinhos é feita inteiramente em primeira pessoa, então nossa relação com Satrapi será como autora-personagem. De uma forma muito criativa, a autora equilibra seus dramas com alguns toques de humor, sem deixar de falar sobre a opressão que vivia e refletir sobre tudo com muita emoção e dor, sem dúvidas uma forma de narrativa única, e que não teria o mesmo resultado se fosse de outra maneira, a não ser pelos quadrinhos.