Resenha: Quando eu parti

Título Original: Leave me
Autora: Gayle Forman
Ano: 2017
Editora: Record
Páginas: 308
Amazon - Saraiva

Quando soube que Gayle Forman viria para Bienal do Livro Rio desse ano, eu resolvi que era hora de conhecer mais sobre ela e seus livros. Pesquisando para o Psicose da Nina, descobri que a autora é fã dos mesmos clássicos do cinema adolescente dos anos 1980 que eu. Entre as opções de livros da autora que pesquisei na internet, eu optei pelo seu último lançamento Quando eu parti, publicado pela Editora Record. Conhecida mundialmente por Se eu ficar, que foi adaptado para as telonas, eu esperava encontrar um romance adolescente. Acabei me surpreendendo - isso que dá não ler a sinopse do livro. Mas na maior parte das vezes são ótimas surpresas que essa minha negligência oferece.

Com 45 anos, Maribeth vive entre sua carreira de editora em uma revista feminina, ser mãe de gêmeos de 4 anos, cuidar da casa e do marido omisso. Ainda também é preciso lidar com uma amizade fragilizada com uma amiga que agora era sua chefe. Não é à toa que diante de tanta coisa para resolver e lidar, Maribeth acaba sofrendo um ataque cardíaco prematuramente. Mesmo após o susto e a surpresa de não ter enxergado os sinais que seu corpo emitia, ela só conseguia pensar no que seria de sua família sem ela, se ela tivesse morrido.

Maribeth precisava se recuperar totalmente, mas era preciso tempo e ajuda - que não estava recebendo. Em meio a todo o pavor que sentiu ao ver que não podia contar com as pessoas próximas de sua vida, Maribeth resolve fugir. Deixou tudo para traz: a carreira, o marido e os filhos. Mas não seria para sempre, ela só precisava ficar bem, para eles.

"Aquelas primeiras pontadas no peito, porém, pareceram mais aflição que dor, e ela não pensou imediatamente em coração." 

Resenha: Donnie Darko

Título Original: The Goal: An Off Campus Novel
Autor: Richard Kelly
 Ano: 2016
Editora: Darkside
Páginas: 254
Amazon - Saraiva

Você me chamaria de maluca se eu confessasse que nunca tinha ouvido falar de Donnie Darko? Porque eu só consigo me enxergar dessa forma por nunca ter visto esse filme. Ambientado nos 1980, com uma trilha sonora de arrepiar, um roteiro muito inteligente e nada pretensioso, meu lado cinéfilo está chocado por eu não ter visto esse filme antes. 

Antes de ler o livro, eu assisti ao filme. Afinal, o tradutor Antônio Tibau já começa falando que quem já viu, provavelmente, "não viu direito". Imagina eu? E foi vendo ao filme que algumas peças começaram a se encaixar em relação ao livro. O marcador de avião, o coelho, 28:06:42:12 e padrões psicodélicos que compõem o trabalho editorial de Christiano Menezes passaram a fazer todo o sentido. Mas já fica avisado que Donnie Darko não é nem de longe um filme que traz soluções óbvias e muito menos você encontra todas as respostas nesse livro. 

Donnie Darko (Jake Gyllenhaal) é um jovem problemático que está no colégio, apesar de ter uma base familiar e condições financeiras boas. Além de acordar em lugares estranhos, o menino passa a ter encontros noturnos com um coelho gigante bastante bizarro. Frank, o coelho, profetiza que o final do mundo está próximo e vai acontecer em 28 dias, 6 horas, 42 minutos e 12 segundos. A partir daí, Donnie passa a fazer tudo o que Frank manda fazer. Inclusive, influenciado pelo coelho, ele passa a investigar sobre teorias de viagem no tempo.

"Bem... talvez alguém esteja tipo... te dando uns remédios para sonhar. E o sonambulismo... seja alguém te mostrando o caminho." - Gretchen (Jena Malone)

Resenha: Um Amor Inesperado

Título Original: Um Amor Inesperado - Série Amores #2
Autora: Silvia Spadoni
Ano: 2017
Editora: Pedrazul
Páginas: 240
Amazon - Saraiva

Um Amor Inesperado é o segundo volume da Série Amores da autora Silvia Spadoni lançado pela Pedrazul, porém não é uma continuação do primeiro volume, Um Amor Conquistado, as histórias da série são independentes e podem ser lidas separadamente.

Para se livrar de seu tutor e conseguir colocar as mãos em sua fortuna por direito, Amélia de Wintour se vê obrigada a tomar medidas desesperadas para conseguir enfim sua liberdade. O plano é se casar com um prisioneiro da Coroa Britânica, um total desconhecido que se encontrava no corredor da morte e logo se tornar viúva.

Em 1811, dois anos depois, Amélia está prestes a ser desmascarada por James Cunnington, o sobrinho-neto e herdeiro que está prestes a assumir as propriedades do Conde de Hartford. James voltou ao Condado de Surey e é recebido como um herói de guerra, ele havia trabalhado infiltrado nas tropas de Napoleão Bonaporte e seu papel fora fundamental na segurança de muitos ingleses. Só que o caminho até ali não fora tão fácil, há exatamente dois anos James estava na prisão de Fleet e uma dama em busca de um casamento arranjado quase colocou em risco todo o plano da Coroa. Decidido a procurá-la, James se surpreende ao reencontrar Amélia na casa de Lorde Snowden, seu vizinho de propriedade. Próximo de Amélia, sua esposa diante a lei, ele tentará descobrir o que a levou a um ato tão humilhante para ele e deverá decidir se deve ou não se render ao seu desejo da vingança e entrega-la ou se deve manter este casamento por nome da honra. 

"Um leve estremecimento perpassou o corpo do homem quando seus olhos de encontraram. Sua esposa! A palavra ressoou por sua mente e uma onda de fúria o inundou."

Resenha: Mil Beijos de Garoto

Título Original: A Thousand Boy Kisses
Autora: Tillie Cole
Ano: 2017
Editora: Planeta
Páginas: 400
Amazon - Saraiva

Quando tinham apenas cinco anos, Rune e Poppy davam início a uma grande amizade e que na adolescência, floresceria pra um intenso amor. É como se no primeiro instante em que se viram o destino tivesse traçado suas vidas, um para o outro, juntos. O destino tem dessas coisas, nos une a pessoas nos momentos mais derradeiros, mais impensados. É ele também o responsável pelas mais dolorosas rupturas.

No dia em que Rune Kristiansen e sua família se mudaram da Noruega para os EUA, ele conheceu Poppy, sua vizinha e quem seria sua melhor amiga a partir dali. Aos oito anos, Poppy recebeu da sua avó um pote com mil corações de papel. Ela deveria preencher estes papéis com mil beijos de garoto, mas apenas aqueles que fizessem seu coração explodir de felicidade. Foi neste dia que Rune garantiu ser o primeiro e único menino comprometido a preencher o pote de beijos de Poppy.

Já adolescentes e inseparáveis desde sempre, Rune e Poppy estavam prontos para dar um passo a mais, porém, uma notícia inesperada os separa repentinamente e não há o que possa ser feito. Depois de dois anos, Rune está de volta e completamente mudado. Alimentado pela raiva, ele está focado em reencontrar Poppy e confronta-la do porquê, durante os dois anos que ficaram separados, ela o afastou completamente, sem que nada que eles tivessem vivido até ali tivesse significado alguma coisa.

"Beijo 1. Com meu Rune. No bosque florido. Meu coração quase explodiu."

Resenha: Ligeiramente Perigosos

Título Original: Slightly Dangerous
Autora: Mary Balogh
Ano: 2017
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Amazon - Saraiva

Terminar uma série causa sentimentos conflituosos dentro da gente. Por um lado, torcemos para que todos os mocinhos e mocinhas encontrem a felicidade, mas por outro, nos despedimos de uma família que durante muito tempo também foi nossa. Ligeiramente Perigosos é o sexto e último livro da série Os Bedwyns da autora Mary Balogh lançado pela Arqueiro. 

Após ver todos seus irmãos mais novos se casarem, o Duque de Bewcastle com seus 35 anos se vê cada vez mais solitário e recluso em Lindsay Hall, a mansão dos Bedwyns. Em sua reputação não há uma rachadura de quer, muito reservado e extremamente severo, Wulfric Bedwyn nem pensa em se casar e gerar herdeiros, afinal, não havia necessidade devido a existência de todos seus irmãos e sobrinhos a caminho.

Forçado a ir a mais um evento social da temporada, Wulfric causa alvoroço com sua chegada, porém, dentre todas as mulheres presentes, apenas uma é capaz de despertar sua atenção. Christine Derrick é o inverso de Wulfric, viúva já há alguns anos e deixada sem muitas riquezas para viver confortavelmente, já não é tão vista em meio a nobreza, pelo contrário, prefere viver no campo sem as regras do decoro. Muito bonita e dona de um carisma sem igual, Christine provoca em Wulfric um desejo a muito tempo adormecido, mas suas sinceras intenções poderão despertar os mais confusos sentimentos e a lógica deixará de tomar as rédeas pela primeira vez em sua vida.

"A Sra. Derrick espalhava luz, apesar das sombras que ele vira nela de relance. E por mais que não desejasse, Wulfric ainda estava fascinado por aquela luz."