O Tipo Certo De Garota Errada | A. C. Meyer

Título Original: O Tipo Certo De Garota Errada
Autora: A. C. Meyer
Ano: 2018
Editora: Galera
Páginas: 280
Amazon

O Tipo Certo De Garota Errada conta a história de Malu e Rafa. Os dois se conheceram na faculdade de Direito, porém Malu não gostava do curso, só estava estudando para agradar aos pais. Ela faz mais o tipo artista, uma pessoa que gosta de viver aventuras e não gosta de seguir regras. Os dois se sentem atraídos um pelo outro, mas não admitem o sentimento. Além disso, Malu tem um relacionamento difícil com os pais, já que ela não é nada do que eles esperam. Ela é a típica ovelha negra da família, destoando completamente de seus parentes. A narrativa do romance segue contando como o relacionamento de Malu e Rafa tem seus altos e baixos e seus desencontros. Até que um dia algo grave acontece e parece ser um ponto que definirá para sempre se os dois ficarão juntos ou não. 

Comecei a leitura bem otimista, as primeiras páginas me deixaram interessada. Apesar do clichê tão usado da garota problemática que não se dá bem com os pais, o livro estava me ganhando. Porém, conforme os capítulos foram passando, fui percebendo que a história começou a ganhar rumos um tanto dramáticos demais, coisas que já vi anteriormente em outras leituras.

Apesar disso, gostei da escrita da autora, dos diálogos e da construção dos personagens. O que me impediu de gostar completamente do livro foi o rumo que a história seguiu. Não foi algo inovador e que prendeu a minha atenção durante toda a leitura. Em alguns momentos eu gostava da história, mas em outros parecia que eu já sabia exatamente o que iria acontecer. Não sei se isso aconteceu por eu já ter lido muitos livros desse gênero ou pelas escolhas da autora. Mas realmente não fui completamente conquistada pela história.

Filhos de Sangue e Osso | Tomi Adeyemi

Título Original: Children of Blood and Bone
Autora: Tomi Adeyemi
Tradução: Petê Rissatti
Ano: 2018
Editora: Fantástica
Páginas: 560

Em um reino onde a magia era amplamente utilizada, mas bruscamente passa a ser proibida, surgem 4 crianças. Duas delas, a menina Zélie e seu irmão mais velho Tzain, são filhos de uma família pobre, de ex-magos, chamados de Diviners. Os diviners, hoje, são subjugados e precisam pagar altos impostos ao rei do condado e caso não tenham dinheiro para paga-los, são obrigados a fazerem trabalhos forçados, como escravos. As outras duas crianças são os filhos do rei, Amari, uma menina rebelde que não aceita a ideia de seu pai ter mandado matar sua melhor amiga, uma jovem serviçal que foi brutalmente assassinada, e seu irmão Inan, que está sendo preparado para assumir o trono.

Não se sabe ao certo porque a magia foi proibida de Orïsha, até Zélie encontrar Amari em uma feira onde a primeira tentava vender um peixe raro que ela tinha pescado e a segunda fugia das garras de seu pai com um precioso pergaminho, não passava pela cabeça de ninguém que a magia pudesse retornar à vida das pessoas novamente. Mas aquele pergaminho seria apenas a primeira peça para o poder dos Magis voltar à tona em busca da igualdade entre todos neste universo.

É assim que Zélie vê em suas mãos a chave para que sua família possa parar de ser explorada e a alma de sua mãe, assassinada por ser uma Diviner em um dos genocídios provocados pelo rei, ser vingada. Mas seu irmão acha muito arriscado brigar contra o rei, ainda mais aceitando um presente dado justamente pela filha dele. Será que ela realmente está contra o pai ou é apenas uma isca para que o resto de todo seu clã seja dizimado?

Heroínas | Laura Conrado, Pam Gonçalves, Ray Tavares

Título Original: Heroínas
Autoras: Laura Conrado, Pam Gonçalves, Ray Tavares
Ano: 2018
Editora: Galera
Páginas: 256
Amazon

Provavelmente você já ouviu falar nas histórias de Robin Hood, Rei Arthur e Os Três Mosqueteiros certo? Já imaginou estas histórias recontadas nos tempos de hoje? Heroínas é uma antologia, composta pelas autoras Laura Conrado, Pam Gonçalves e Ray Tavares que tem a ideia de nos apresentar uma nova perspectiva dessas clássicas histórias, onde vozes femininas são finalmente ouvidas, uma visão de que mulheres e garotas podem e devem tomar as rédeas de suas próprias vidas e também salvar o dia, principalmente quando unidas.

No primeiro conto, baseado em os Três Mosqueteiros, Laura Conrado irá nos apresenta Daniela, filha de uma veterinária bastante renomada. Por este motivo, ela também tem o sonho de dedicar seu tempo aos cuidados dos animais. Sendo assim, ela acaba tentando vaga em uma ONG chamada Mosqueteiras. Sem sucesso e na saída de sua entrevista, Dani acaba presenciando uma acena de maus tratos e Agnes, que trabalha nesta ONG, acaba escolhendo-a para ser sua assistente, justamente por conta do seu posicionamento diante a aquela cena.

No conto da Pam, inspirado em Rei Arthur, Formandos da Távola Redonda, iremos conhecer Marina, que tem a missão de reorganizar a festa de formatura do seu colégio depois que roubaram todo o dinheiro que os alunos juntaram ao longo do ano. Juntamente com suas amigas, Marina irá bolar um plano para reaver este dinheiro e conseguir concretizar esta data tão sonhada. Por fim, em Robin, a Proscrita, conto da Ray Tavares, teremos Roberta - uma garota que vive numa comunidade e que vê a injustiça estampada no rosto do pastor corrupto da igreja. Com suas habilidades de hacker, ela irá dar um jeitinho em algumas dessas coisas que tanto a incomoda para ajudar os mais pobres.

"Eu aprendi a escutar e valorizar a fala da outra, ainda que, às vezes, seja uma fala diferente da minha; a voz de toda mulher deve ser respeitada. Sororidade é isso, né? É a gente se reconhecer uma na outra."

Em Pedaços | Lauren Layne

Título Original: Broken
Autor: Lauren Layne
Tradução: Lígia Azevedo
Ano: 2018
Editora: Paralela
Páginas: 247
Amazon

Aos vinte e dois anos, Olivia leva uma vida de novela. Linda, loira e muito rica, é a herdeira de uma fortuna e sempre se viu cercada por famílias importantes, cheia de privilégios e benefícios que só o dinheiro pode proporcionar. Perfeita aos olhos dos outros e muito querida por todos. Porém, existe algo a atormentando, tirando a sua paz e despertando em seu íntimo a necessidade de fugir desse meio ao qual sempre viveu e é justamente por isso que ela larga a faculdade, e aceita um emprego “desafiador”. 

Irá se mudar para uma cidade pequena e se dedicará aos cuidados de um ex-soldado que recém retornou da guerra. Tal feito a coloca ainda mais em evidência, as pessoas começam a enxergá-la como um ser altruísta, quando na verdade suas motivações são egoístas, Olivia está buscando por redenção.

Paul só quer paz, viver como um recluso, longe de tudo e todos. O sentimento que predomina em seu coração é a raiva. Raiva do mundo, do seu pai, de si mesmo, raiva de tudo que presenciou e viveu na guerra, raiva de suas perdas, de sua impotência, das sequelas, feridas físicas e emocionais que sempre irá carregar. Porém, seu pai parece não ser capaz de compreender tudo que ele passou, sua necessidade de isolamento e insiste em mandar um cuidador atrás do outro, como se milagrosamente tudo fosse mudar e impiedosamente Paul os afastas, uma briga que parece longe do fim, até que... Olivia chega.

“É que, lá no fundo, sei que a razão pela qual vim pra cá foi a noção inocente de que ajudar Paul acabaria me ajudando. Que, de alguma forma, eu poderia consertar o que estivesse quebrado e podre dentro de mim.”

Entrevista: Isabela Pâmelli Martins

Em seu segundo romance, o primeiro, Copadrama - Uma Tragicomédia Brasileira, foi lançado em 2009 pela Amazon nos USA, a autora Isabela Pâmelli Martins compartilha com o leitor memórias de uma jovem brasileira na Cidade da Luz. Paris, Mon Amour – As Memórias de Uma Jovem Brasileira na Cidade Luz irá revelar Pâmelli, uma jovem carioca que com apenas dez anos de idade resolveu alçar voo rumo aos EUA, mas que aos vinte e dois parte para a sua primeira viagem para à França.



É esta viagem que encontraremos pelas páginas de "Paris, Mon Amour", uma história que fala sobre o crescimento de uma jovem romântica e do ano em que ela viveu e se apaixonou perdidamente em Paris. O relato é emocionante, divertido, mas também rico em detalhes culturais e antropológicos. Muito dessa jornada é baseado nas próprias experiências da autora e sabendo disso, resolvi fazer uma entrevista com ela para conhecer um pouco mais sobre este trecho de sua vida. Vamos conhecê-la?

Prazeres Sombrios | Kresley Cole

Título Original: No Rest For The Wicked
Autora: Kresley Cole
Tradução: Renato Motta
Ano: 2018
Editora: Valentina
Páginas: 352
Amazon

A Série Imortais estreou no Brasil através de Desejo Insaciável, lançado em 2016. Neste ano, a Editora Valentina trouxe o segundo volume, o terceiro lá fora, Prazeres Sombrios. A série retrata uma realidade em que seres mitológicos habitam a Terra com nós, mortais. Existem várias espécies, Vampiros, Lykaes, Fúrias, Espectros, até Fadas e Valquírias. O mundo para eles se chama Lore e mesmo circulando entre a gente, eles estão constantemente em guerra. 

Em Prazeres Sombrios conheceremos Sebastian Wroth, transformado há séculos em vampiro contra a sua vontade. Desde então, vive solitário e consumido pelo ódio. Porém as súplicas pela sua própria morte parecem ser atendidas quando Kaderin, uma guerreira que tem como missão caça-lo e mata-lo, surge para colocar um fim no seu sofrimento. A bela valquíria é desprovida de qualquer sentimento, desde que perdeu suas irmãs no campo de batalha, Kaderin não pôde sentir o próprio luto. Mas as dores e todas as emoções que foram extintas naquele dia, parecem ganhar vida novamente quando ela hesita em eliminar seu inimigo. Sebastian desperta em Kaderin um desejo incontrolado, mas isso não pode atrapalha-la, justo agora que está participando da Corrida do Talismã, a única chance que tem para se utilizar de um poderoso artefato que poderá modificar o passado e salvar suas irmãs. Será que Kaderin conseguirá manter o foco, mesmo sabendo que Sebastian também resolve participar da competição para conquista-la?

Está aqui mais uma leitura divertidíssima, concluída com sucesso. O que fora pouco explorado no livro anterior, Desejo Insaciável, neste ganha mais corpo. A mitologia por trás de Lore se mostra mais ampla e pode ser melhor compreendida. Entendemos melhor como funciona este mundo e como estes seres vivem em sociedade. Adorei rever como o coven de Valquírias funciona e como elas, mulheres fortes e destemidas se posicionam num reino, aparentemente, domina por homens. Aliás, são delas as melhores habilidades demonstradas até agora.