Resenha: H. P. Lovecraft - Medo Clássico | Volume I

Título Original: H. P. Lovecraft - Contos: Volume II
Autor: H. P. Lovecraft
Ano: 2017
Editora: Darkside Books
Páginas: 416
Amazon - Saraiva

É sabido que o sucesso de H. P. Lovecraft se deu apenas depois de sua morte. Depois do belíssimo trabalho realizado por seus melhores amigos, que se emprenharam em compartilhar suas obras, não demorou muito para que sua mitologia recebesse um nome. Alguns de seus contos, que recebem como referência o panteão de seres fantásticos, ganharam o nome de Mitos de Cthulhu. Quem protagoniza a maioria desses textos são os Grandes Antigos, mas afinal, quem seriam eles?

Conforme Os Mitos de Cthulhu, a Terra, muito antes de ser habitada por nós humanos, foi morada de criaturas míticas e foram através de seus poderes que se iniciou a vida no planeta e também no universo. Os humanos teriam sido criados unicamente para servidão, e aqui, Lovecraft coloca a baixo toda esta ideia de que nós humanos seriamos o centro do universo como únicas criaturas pensantes. No universo lovecraftiano, nós, humanos somos insignificantes diante a presença dos Grandes Antigos.

Depois de ter minhas primeiras experiências com o autor, de conhecer alguns contos não tão conhecidos e até explorar o universo do Ciclo dos Sonhos, finalmente fui apresentada aos contos, que deram maior notoriedade a Lovecraft, ao panteão de divindades que assombra e impressiona os fãs mais fervorosos do autor. 

"Eles eram os Grandes Antigos que desceram das estrelas quando a Terra era jovem - os seres cuja substância fora moldada por uma evolução alienígena e que possuíam poderes que jamais foram gerados por este planeta."

Resenha: Orgulho e Preconceito

Título Original: Pride and Prejudice
Autora: Jane Austen
Ano: 2018
Editora: Martin Claret
Páginas: 424
Amazon - Saraiva

É uma verdade universalmente conhecida que Orgulho e Preconceito é um dos romances mais icônicos do século XIX e Jane Austen, conquistou isso sem nos presentear com um único beijo. Com pouco mais de 200 anos, com um enredo memorável a história de Lizzie Bennet e Mr. Darcy inspiraram milhares de romances, centenas de adaptações e até novas abordagens dos temas que a autora trabalha nesta história. A obra contém grandes críticas sociais, ainda mais eficazes quando analisamos a época em que este livro foi escrito. Aqui teremos muito da realidade vivida pela própria autora.

A vida pacata e simples da Família Bennet começa a mudar quando Mr. Bingley, acompanhado da irmã e melhor amigo, Mr. Darcy, decide passar uma temporada no campo em Meryton, em uma propriedade muito próxima a dos Bennet. Logo a presença de um dos cavalheiros mais jovem e rico da região é notada e a Senhora Bennet vê a oportunidade perfeita para aproximar Jane, sua filha mais velha, de Bingley, que logo se encanta pela jovem. Porém a boa receptividade não atinge também Mr. Darcy, que desconfia e dispensa todos os gracejos das pessoas do campo, por os considerar socialmente inferiores.

Sua postura não passa despercebida por Elizabeth, a segunda filha mais velha da família. Com uma primeira impressão ácida, Mr. Darcy fere o orgulho de Lizzie quando admite acha-la apenas "tolerável". Muito inteligente e perspicaz como ninguém, ela logo decide revidar na mesma moeda. Devido à proximidade de Bingley e Jane, indiferente, Lizzie passa a impressionar Darcy com sua espiritualidade e pelos diálogos encantadores que ela protagoniza sempre que tem a oportunidade. É no protagonismo desse casal que acompanharemos as diversas dificuldades e barreiras que Lizzie e Darcy enfrentarão entre as idas e vindas que a vida lhes reservou.

"Tentei lutar, mas em vão. Não consigo mais. Não posso reprimir meus sentimentos. Você tem de me permitir dizer com quanto ardor eu admiro e amo você."

Resenha: É Assim que Acaba

Título Original: It End With Us
Autora: Colleen Hoover
Ano: 2018
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Amazon - Saraiva

Esse livro é sobre amor, sobre abusos, sobre luta e sobre escolhas. Lily conheceu desde cedo a violência, não por ter vivenciado na pele, mas por ter presenciado em casa por meio de seu pai abusivo. Sua mãe sempre sofreu agressões físicas e psicológicas e Lily nunca entendeu porque a mãe nunca deixou o pai e sempre escondeu isso de todos. O pai de Lily era prefeito da cidade onde ela morava quando criança e tinha uma imagem na comunidade de pai e marido dedicado. Mas Lily sabia a verdade.

Um dia Lily conhece um garoto que passa a morar na casa vizinha da sua, que está abandonada. Atlas não tem um lar, por isso sua única opção foi se abrigar naquela casa sem eletricidade, nem água, nem aquecimento. Por isso Lily se compadece da situação dele e passa a ajudá-lo com comida, roupas limpas e uma amizade. Porém, um dia Atlas precisa se mudar e os dois nunca mais se encontram. Anos se passam e Lily se muda para Boston. Lá ela conhece Ryle, um neurocirurgião que mexe muito com os sentimentos dela. E tudo parece perfeito demais até Atlas ressurgir em sua vida e abalar seus sentimentos.

Eu diria que a maioria dos livros da Colleen Hoover segue uma espécie de padrão de acontecimentos. Começam de um jeito inocente e vão evoluindo para algo totalmente inesperado e denso. Mas no caso de É Assim que Acaba as coisas são intensas e inesperadas desde o começo. É um livro forte, com personagens reais demais. São pessoas que vemos todos dias, passando situações familiares, que estão próximas da gente e que vivem exatamente situações como esta. 

"Sinto a voz dele em meu estômago. Isso não é nada bom. Vozes deveriam parar no ouvido, mas às vezes – não é sempre que isso acontece – a voz passa pelos meus ouvidos e reverbera diretamente pelo meu corpo."

Resenha: Palácio de Mentiras

Título Original: Twisted Palace
Autora: Erin Watt
Ano: 2018
Editora: Essência
Páginas: 379
Amazon - Saraiva

Oi pessoal! Olha quem "voltei" para as resenhas de livros! Estava até sentindo falta, mas na verdade, eu estava lendo muito pouco, mas estou voltando ao meu ritmo normal. Uma das séries que me ajudaram a voltar ao ritmo foi "The Royals". Li os dois primeiros livros em cerca de três dias e dei uma sorte danada, pois logo que acabei o segundo livro, tinha recém lançado o terceiro e já fui à luta! Mas sabe que o terceiro eu não li tão rápido como os outros dois? Não sei o porquê, ou talvez saiba sim. Vou discutir isso com vocês ao longo da resenha. Vamos lá!

Para quem ainda não leu nenhum livro da série, trata-se de uma jovem chamada Ella Harper, que vê seu mundo desabar quando perde sua mãe. Sem nunca ter conhecido o pai, e ter na mãe, a única figura familiar, Ella consegue por algum período se manter sem a ajudar de ninguém, fazendo strip-tease em um clube – sua mãe também foi stripper. Certo dia, no trabalho, Ella recebe a visita de um homem que diz ser seu tutor agora que ela não tem ninguém. Obviamente a garota fica receosa, pois a mãe dela nunca havia dado grandes detalhes – apenas que já era falecido – e agora chega um homem que se diz não apenas tutor dela, mas amigo íntimo de seu pai. Assim, Ella é levada para a casa dos Royals, em que o patriarca – seu tutor – é Callum Royal.

Essa é apenas a parte inicial do livro e esta, por se tratar da resenha do terceiro livro da série, irá conter spoiler sobre o enredo de Princesa de Papel e Príncipe Partido, então leiam por suas contas em risco, pois eu vou comentar sobre desdobramentos importantíssimos dos livros anteriores.

"Se eu concordar - repito por entre os dentes -, o Reed vai ser salvo?" 

Resenha: Moletom

Título Original: Moletom
Autor: Julio Azevedo
Ano: 2017
Editora: Globo Alt
Páginas: 168
Amazon - Saraiva

Moletom é um romance jovem adulto nacional publicado pela Globo Alt no final do ano passado. E é fácil se apaixonar logo pela capa desenhada com tons preto, branco e rosa bebê, onde são representados alguns elementos que compõe essa história delicada e apaixonante.

Nas 167 páginas - para ser bem exata - acompanhamos o jovem Pedro em sua fuga, muito mais emocional do que geográfica. Ele não conta com todas as palavras o que levou ele a isso, mas fica bastante óbvio os problemas que o afligem. A história começa com ele em uma nova cidade morando com uma tia que aceitou recebê-lo enquanto a situação não se resolve. Nessa fuga, como um típico escritor, ele tenta encontrar refúgio nas palavras e xícaras de café. Ele só não esperava conhecer Lucas e viver emoções que levará para o resto de sua vida. 

O mais fantástico de Moletom é ver como um livro considerado pequeno, em termos de página, consegue impactar de forma tão sutil e ao mesmo surpreendente. Isso na mesma proporção como foi para Pedro, já que sua história se desenvolve no decorrer de pouco mais de vinte dias e o processo de transformação pelo qual o personagem passa é tão sutil e impactante como uma história simples e bem escrita pode ser. 

"Às vezes a vida nos afoga, e tudo que precisamos é de uma mão para nos puxar para fora do mar."

Resenha: As Sobreviventes

Título Original: Final Girls
Autor: Riley Sager
Ano: 2017
Editora: Gutenberg
Páginas: 336

O que acontece quando você é a única pessoa que consegue sair viva de um massacre? Como você se sente sendo a única pessoa poupada de um ato tão horrendo? Quais segredos você irá guardar? Quais memórias você irá esconder de si mesma?

São essas as principais perguntas que Quincy precisa responder depois de ir à uma casa em um bosque com seus amigos. Lá eles conhecem um homem que mata a todos, poupando apenas a vida dela, que sai com alguns ferimentos físicos, mas nada que machuque mais que o trauma causado em sua mente, este sim é o único resquício que resta de dor nela.

Por ter sido a única sobrevivente do massacre no Chalé Pine ela acaba conhecendo mais duas garotas que passaram por situações parecidas, Sam e Lisa, que formam um grupo de garotas com traumas iguais, que se ajudam para superar as lembranças e as dores que cada uma esconde, porém o tempo as afasta, Quincy não se sente muito a vontade de liberar todos seus monstros interiores para estas estranhas. Ela não se sente parte daquele grupo, as vezes acha que é culpada por ter sobrevivido àquilo tudo.

"Vou dizer uma coisa sobre detalhes – eles também podem ser uma distorção. Adicione uma quantidade muito grande e eles obscurecem a verdade brutal sobre uma situação."