Apresentando Séries: Stranger Things

Título Original: Stranger Things
Criado por: Matt Duffer e Ross Duffer
Com: Winona Ryder, Millie Brown, Finn Wolfhard, David Harbour, Charlie Heaton.
Gênero: Suspense, Thriller, Ficção Científica.
Duração: 41 minutos - 8 episódios
Lançamento: 2016



Atenção! Esta resenha será dupla. As partes em preto são as partes escritas pela Liliane e as partes em azul são respectivamente da Izabel.

Quando vi o trailer de Stranger Things na página da Netflix, eu simplesmente pirei! Sério, eu enlouqueci, e já comecei a contar os dias para que o dia do lançamento chegasse de uma vez, pois eu simplesmente precisava daqueles episódios para viver! Exagerada? Não! Talvez. As séries da Netflix estão se mostrando cada vez melhores, para provar o meu ponto estão aí, Marco Polo, Narcos, Sense 8, enfim, eles estão com todo o gás! Por esse motivo, sabia que vinha coisa boa por aí. A pior coisa que tem, é quando olhamos um trailer, ficamos naquela expectativa e quando chega na hora e não era tudo isso né? Pois bem, Stranger Things é tudo isso, e mais.

Esse foi o meu primeiro contato com uma série original da Netflix e mesmo não possuindo uma base, tenho que dizer que o que vi conseguiu me convencer de que a Netflix está investindo e pode se tornar uma concorrente forte no mercado (ou será indústria) dos seriados.

Resenha: Golem e o Gênio

Título Original: The Golem and the Jinni
Autora: Helene Wecker
Ano: 2013
Editora: Darkside
Páginas: 514
Compre aqui

♥ livro cedido em parceria com a editora.

Existe uma lenda, um mito antigo que diz que cada leitor deste mundo, cada pessoa apaixonada pelo mundo da literatura, já nasceu destinada ao amor incondicional direcionado para uma certa editora. Não é difícil observar essa lenda se materializando na vida real, todos nós, se não passamos, vamos passar por isso. E uma vez em que os planetas se alinharem, em que os olhares forem trocados, em que o livro for posto nas mãos do leitor certo, não haverá volta. Eu sei que isso é verdade, pois encontrei a editora na qual posso despejar todo o meu amor! Mas o melhor de tudo, é que sou recompensada por isso a cada nova leitura, a cada novo lançamento, a cada edição maravilhosa disposta na minha estante. Quem me conhece sabe, meu amor é único e o favoritismo é verdadeiro.

Como não poderia ser diferente, mais uma vez fui recompensada. Mais uma vez provei para mim mesma que aquela lenda estava correta, e hoje, compartilho esse fato com todos os leitores que me conhecem. Mais uma vez encontrei uma obra mágica, uma edição impecável, uma revisão acertada e um trabalho de encher os olhos, de fazer qualquer leitor encontrar outra vez a magia que somente um bom livro pode trazer.

“Mas lembre-se disso: uma criatura não pode ser totalmente afastada de sua natureza primordial. ”

Uma obra mágica é capaz de nos fisgar, de nos encantar logo nas primeiras viradas de página, nas primeiras palavras lidas, e assim acontece em Golem e o Gênio. Através do pedido peculiar de um homem comum, encontramos nossa primeira personagem principal. Encomendada para um feiticeiro, colocada dentro de uma caixa e armazenada no depósito de um navio que vagava rumo a uma cidade prometida, conhecida por Nova Iorque, iremos conhecer nossa adorável golem. Essa criatura feita de barro, moldada para se assemelhar ao máximo às características humanas, é acordada, ganha vida ainda dentro do navio, porém sua breve vida já lhe mostra as provações que deverá enfrentar.

Resenha: Os Invernos da Ilha

Título Original: Os Invernos da Ilha 
Autor: Rodrigo Duarte Garcia 
Editora: Record 
Ano: 2016 
Páginas: 462
Compre aqui

Os Invernos da Ilha é o romance de estreia de Rodrigo Duarte Garcia, escritor que visivelmente se inspira em grandes mestres como Melville e Conrad e nos traz uma aventura que inclui uma ilha isolada, um corsário holandês e um tesouro escondido. Tais elementos já poderiam despertar a curiosidade daqueles leitores que apreciam uma boa narrativa de aventura, mas o livro de Garcia vai além disso: trata-se também de uma jornada de amadurecimento do protagonista.

Florian Links, personagem principal e narrador da história, chega à ilha de Sant’Anna Afuera como se estivesse evitando o passado. Após um acontecimento terrível, Links escolhe um mosteiro na ilha como um refúgio e como um local para refletir e retomar o rumo de sua vida. Florian Links decide tornar-se monge e se instala no mosteiro, no entanto, é necessário um período de adaptação e experiência realizando determinadas tarefas até ser consagrado. Aceitando esta condição, Floriano passa a morar no lugar e conhece o professor e antropólogo Philippe Rousseau, que estuda e traduz o diário de Oliver Van Noort, um corsário holandês que invadiu a ilha no ano de 1600. A história oficial sobre Van Noort informa que após uma fuga rápida da ilha, o tesouro do navio Mauritius foi jogado ao mar e jamais alguém o encontrou. O intuito do professor Rousseau era, justamente, desvendar informações sobre o tesouro do navio já que existem diferenças de dados entre os registros oficiais e o diário do corsário. O professor Rousseau acredita que o tesouro foi escondido na ilha.

Percebe-se, então, que o texto situa-se em dois momentos históricos, tendo a ilha como pano de fundo: um é o passado – no caso, o séculos XVI, em que o leitor acompanha as aventuras dos piratas holandeses. O outro momento é o tempo presente, em que Florian questiona o caminho a qual deve seguir se o de aventureiro, buscando o tesouro escondido, ou se o de religioso, tornando-se monge.

[Se você gostou de...] Livros para morrer chorando!

Oi pessoal! Hoje começo uma (não tão) nova coluna aqui no blog. O nome [Se você gostou de...] não é nenhuma novidade, mas achei interessante trazer dicas de livros semelhantes a aqueles que recebem mais credibilidade por algum motivo, seja por filme, autor, série, vendas, etc. 

No quesito chorar, livros como Como Eu Era Antes de Você, Um Caso Perdido e Proibido já são figurinhas repetidas, então, hoje trago livros tão emocionantes quanto e que são definitivamente de lavar a alma. Estes livros em especial, tem o poder de forçar o leitor para uma reflexão maior e por este motivo se tornam tão queridos por nós!

Clique nas respectivas capas para conferir a resenha

As dicas não são necessariamente focadas em apenas um tema especifico, a única semelhança entre eles, é que todos vão te fazer chorar, e muitooo! Então, se você gostou desses livros que citei a cima, você vai gostar de...

Resenha: The Kiss of Deception

Título Original: The Kiss of Deception
Autora: Mary E. Pearson
Ano: 2016
Editora: Darkside
Páginas: 415
Compre aqui

The Kiss of Deception é o primeiro livro da trilogia, intitulada aqui no Brasil como Crônicas de Amor e Ódio.

A protagonista desse livro se chama Arabella Celestine Idris Jezelia, ou simplesmente Lia. Lia é a primeira filha da Casa de Morrighan e neste reino as primeiras filhas recebem um dom que lhes permitem "ver" o futuro. Para algumas uma benção, porém, Lia nunca manifestou este poder, para ela, toda esta tradição é considerada uma farsa.

De qualquer maneira, ela não deixa de ser uma primeira filha e está em suas costas a segurança do reino de Morrighan, pois neste mundo, atualmente a paz entre os reinos é algo bastante frágil. Além de Morrighan, existem dois outros reinos, Venda onde se encontram os bárbaros e saqueadores e Dalbreck, o reino vizinho de Morrighan.

O livro inicia-se quando Lia está sendo preparada para o seu casamento, Lia, como sua própria mãe diz, é uma peça no exército de seu pai e ser a primeira filha significa ser uma peça política fundamental no momento. O seu casamento acertado entre os reis, com o príncipe de Dalbreck, trará paz entre os dois reinos e também fortalecimento contra os bárbaros de Venda.

Lia não está nem um pouco feliz com sua família, por imporem este tipo de decisão sobre a sua vida, e no dia do seu casamento ela foge com sua melhor amiga, Pauline. Obviamente que sua atitude vai enfurecer seu pai, que manda seus melhores rastreadores para procura-la e também desperta a curiosidade do príncipe de Dalbreck em pessoa, afinal, ele quer conhecer a princesa que teve a coragem de fazer aquilo que ele não teve.

"Não é bom viver no talvez. O talvez pode ser distorcido e transformado em coisas que nunca existiram de verdade."

Resenha: Minha Vida Agora

Título Original: How I Live Now
Autora: Meg Rosoff
Ano: 2004
Editora: Record
Páginas: 175
Compre aqui


Eu me lembro muito bem de quando o filme How I Live Now foi lançado. Enquanto ele era exibido lá fora eu ficava aqui, intrigada e extremamente curiosa com relação à sua história, procurando uma forma de assistir ao filme que tinha a bela e talentosa Saoirse Ronan no elenco. 

Demorei um bom tempo para conseguir assistir ao filme, mas desde o momento em que tive a chance de conhecer essa história, de vê-la com meus próprios olhos, ela se tornou uma queridinha. Quando, tempos depois, finalmente tive a chance de adquirir o livro fiquei totalmente encantada com a capa fofinha, mas confesso que levei meses até conseguir realizar a leitura. Hoje, após meses esperando pelo momento certo, venho contar para vocês o que senti e quais foram minhas opiniões a respeito desse livro que, mesmo sendo curtinho, carrega uma amplitude de sentimentos, mensagens e lições consigo.

“A única coisa de que eu tinha certeza era que em toda a minha volta havia mais vida do que eu jamais experimentara em todos os anos em que estivera na Terra ...”

Resenha: Ligeiramente Seduzidos

Título Original: Slightly Tempted
Autora: Mary Balogh
Ano: 2016
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Compre aqui

♥ livro cedido em parceria com a editora.

É chegada a hora do quarto livro da série Os Bedwyns da autora Mary Balogh. Ligeiramente Seduzidos é um lançamento de maio da Arqueiro e apesar de integrar uma série, pode ser lido separadamente. Porém, visto que cada livro falará sobre um irmão da família, é claro que spoilers aparecerão por aí, então, leia por sua conta em risco.

Morgan está passando uma temporada de festividades em Bruxelas na Bélgica. Sendo ela a mais nova dos Bedwyns, ela é uma boa observadora, já presenciou todas as experiências de seus irmãos e tirou lições para a sua própria vida. Portanto, apesar de inocente, ela se acha experiente por tudo que já escutou e viu. Diante isso, não demora muito até que Morgan perceba a presença extravagante do Conde de Rosthorn, uma notável atração na cidade, e suas intenções com sua aproximação.

Gervase Ashford, Conde de Rosthorn, se aproxima de Morgan motivado apenas pela vingança. Obviamente que num primeiro momento ele a acha atraente, porém, muito nova. Mas na realidade, nada disso importaria diante suas reais intenções com a dama. Ao saber que Morgan é a irmã mais nova de Wulfric Bedwyn, a quem culpa pelos seus nove anos longe da Inglaterra, Gervase dedica boa parte do seu tempo para conquistar a moça, para que depois possa arruiná-la.

"Tenho que lhe roubar um beijo. E já que a senhorita, de forma tão corajosa, alegou que não permitirá que lhe roube um segundo ou um terceiro, devo fazer o melhor possível no primeiro."